' '

7 de novembro de 2023

HISTÓRIA DA ARTE EM QUADRINHOS chega pela L&PM

HISTÓRIA DA ARTE EM QUADRINHOS, da Pré-História à arte moderna, em dois volumes, deve ser lançado neste mês pela L&PM. Veja abaixo detalhes e imagens da obra criada por Marion Augustin e Bruno Heitz.
___________________________________________________________


___________________________________________________________



HISTÓRIA DA ARTE EM QUADRINHOS: DA PRÉ-HISTÓRIA... AO RENASCIMENTO (VOL. 1)

Formato 20,5 X 27,5 cm, 96+4 páginas, lombada quadrada, miolo cor, R$ 74,90.
Descubra a apaixonante história da arte, além da vida e da obra dos principais artistas
Do Renascimento aos dias de hoje, indo da Mona Lisa e outras criações de Leonardo da Vinci à pop art, passando pela Capela Sistina, pelo palácio de Versalhes, pelo barroco brasileiro, pelos pintores flamengos, por Kandinsky e o início da arte abstrata, pelo cubismo de Braque e Picasso e as obras-primas de Vincent van Gogh até chegar às esculturas de Louise Bourgeois e às instalações de arte contemporânea. Isto e muito mais é o que espera você neste inigualável passeio pela história da arte. Aqui você vai entender o desenvolvimento da arte nos últimos seis séculos, a influência da Igreja católica e da Reforma protestante – além do significado das artes nos dias de hoje. Esta divertida história em quadrinhos parte do Renascimento italiano, que recolocou o ser humano no centro de tudo, para contar aos leitores o desenvolvimento da arte ocidental nos últimos seis séculos. Acompanhando as mudanças sociais e culturais, vemos como os italianos do quattrocento transformaram a maneira de retratar figuras humanas, lançando mão do estudo de cadáveres para melhor conhecer sua anatomia. O alemão Albrecht Dürer faz história como gravurista, o holandês Hieronymus Bosch pinta quadros assustadores que fazem qualquer temente a deus se arrepender de seus pecados. A reforma de Martinho Lutero sacode a Europa e o mundo. Com a ideia protestante de não cultuar ídolos, abre-se espaço para um tipo de arte pouco praticado até então: os retratos, dos quais Lucas Cranach e Hans Holbein serão mestres. Bruegel volta suas atenções para os camponeses; os nus de Michelangelo na capela Sistina são tapados e surge o estilo barroco – com expressões únicas na América Latina e no Brasil. O espanhol Diego Velásquez retrata a si mesmo no revolucionário As meninas. Rembrandt inova na utilização das luzes na pintura, e Vermeer usa a técnica da camera obscura para pintar pequenas cenas domésticas magistralmente compostas. Castelos franceses borram os limites da arte e da arquitetura. Na Inglaterra, o pintor e gravurista William Hogarth faz sucesso com obras de crítica social. Na França, Ingres é obcecado pelo corpo nu. Francisco Goya pinta a série negra e faz, sobre os horrores da guerra, gravuras que só serão exibidas após a sua morte. Os franceses Courbet e Manet criam obras que não são aceitas pela Academia: é o início de uma revolução nas artes plásticas. Em meados do século XIX, uma invenção dá uma nova guinada na história da arte: a tinta em tubo, que não precisa ser preparada com ingredientes perecíveis, dispensa os pintores de trabalhar com assistentes e lhes confere mobilidade – fica mais fácil pintar fora do estúdio, sobretudo ao ar livre. Também o advento da fotografia passa a influenciar as artes. Na segunda metade do século XIX, Monet, com seu Impressão, nascer do sol, marca o início do impressionismo, movimento que mudou a forma como as pessoas apreciam quadros. A psicanálise e a descoberta do inconsciente são o pano de fundo do dadaísmo e do surrealismo. Cada vez mais a arte se democratiza. Lichtenstein e Andy Warhol se valem da linguagem publicitária para inventar a pop art. Artistas urbanos tomam as ruas, sobretudo com o grafite, ao mesmo tempo em que as instalações ganham espaço. Esta fascinante história é contada com todas as melhores possibilidades dos quadrinhos, para curiosos de todas as idades. Ao final, você encontrará um rico dossiê de fotografias para admirar as obras citadas e também um glossário de termos técnicos. Embarque já nesta saga apaixonante. De Marion Augustin e Bruno Heitz. Tradução de Alexandre Boide.




HISTÓRIA DA ARTE EM QUADRINHOS: DO RENASCIMENTO À ARTE MODERNA (VOL. 2)

Formato 20,5 X 27,5 cm, 96+4 páginas, lombada quadrada, miolo cor, R$ 74,90.
Esta divertida história em quadrinhos parte do Renascimento italiano, que recolocou o ser humano no centro de tudo, para contar aos leitores o desenvolvimento da arte ocidental nos últimos seis séculos. Acompanhando as mudanças sociais e culturais, vemos como os italianos do quattrocento transformaram a maneira de retratar figuras humanas, lançando mão do estudo de cadáveres para melhor conhecer sua anatomia. O alemão Albrecht Dürer faz história como gravurista, o holandês Hieronymus Bosch pinta quadros assustadores que fazem qualquer temente a deus se arrepender de seus pecados. A reforma de Martinho Lutero sacode a Europa e o mundo. Com a ideia protestante de não cultuar ídolos, abre-se espaço para um tipo de arte pouco praticado até então: os retratos, dos quais Lucas Cranach e Hans Holbein serão mestres. Bruegel volta suas atenções para os camponeses; os nus de Michelangelo na capela Sistina são tapados e surge o estilo barroco – com expressões únicas na América Latina e no Brasil. O espanhol Diego Velásquez retrata a si mesmo no revolucionário As meninas. Rembrandt inova na utilização das luzes na pintura, e Vermeer usa a técnica da camera obscura para pintar pequenas cenas domésticas magistralmente compostas. Castelos franceses borram os limites da arte e da arquitetura. Na Inglaterra, o pintor e gravurista William Hogarth faz sucesso com obras de crítica social. Na França, Ingres é obcecado pelo corpo nu. Francisco Goya pinta a série negra e faz, sobre os horrores da guerra, gravuras que só serão exibidas após a sua morte. Os franceses Courbet e Manet criam obras que não são aceitas pela Academia: é o início de uma revolução nas artes plásticas. Em meados do século XIX, uma invenção dá uma nova guinada na história da arte: a tinta em tubo, que não precisa ser preparada com ingredientes perecíveis, dispensa os pintores de trabalhar com assistentes e lhes confere mobilidade – fica mais fácil pintar fora do estúdio, sobretudo ao ar livre. Também o advento da fotografia passa a influenciar as artes. Na segunda metade do século XIX, Monet, com seu Impressão, nascer do sol, marca o início do impressionismo, movimento que mudou a forma como as pessoas apreciam quadros. Surgem os marchands. Cézanne torna-se o mestre da natureza morta, e Van Gogh reinventa a pintura com obras que estão, hoje, entre as mais amadas e caras do mundo. Kandinsky marca o início da arte abstrata. Na Paris que é o centro da vanguarda artística no início do século XX, Picasso deslancha sua prolífica, longa e genial carreira, e com Georges Braque decompõe a realidade tal qual a conhecíamos, criando o cubismo; Marcel Duchamp confunde o próprio conceito de arte. A psicanálise e a descoberta do inconsciente são o pano de fundo do dadaísmo e do surrealismo. Cada vez mais a arte se democratiza. Lichtenstein e Andy Warhol se valem da linguagem publicitária para inventar a pop art. Artistas urbanos tomam as ruas, sobretudo com o grafite, ao mesmo tempo em que as instalações ganham espaço. Esta fascinante história é contada com todas as melhores possibilidades dos quadrinhos, para curiosos de todas as idades. Ao final, você encontrará um rico dossiê de fotografias para admirar as obras citadas e também um glossário de termos técnicos. Embarque já nesta saga apaixonante. De Marion Augustin e Bruno Heitz. Tradução de Alexandre Boide.


• Amostra das edições publicadas na França:

 

 
 

 
___________________________________________________________

★ Fonte: Divulgação.
★ Reprodução de artes e fotogramas: feita apenas para fins de divulgação. Artes e personagens são de propriedade de seus criadores/licenciadores. A qualidade gráfica aqui exibida é inferior à original.
 Sinopses (em azul e itálico) e informações sobre preço de capa, estrutura do título e da edição, extensão prevista de um título ou de uma coleção: são dados divulgados pelas editoras.
★ Dúvidas e sugestões: escreva para o editor do Planeta Gibi Blog.
★ Publicado originalmente em 7/11/2023.
★ Atualizado pela última vez em 7/11/2023.

___________________________________________________________



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de quem os escreve e não refletem a opinião do Planeta Gibi.

Não são permitidos comentários que incluam:

Termos ofensivos, agressivos ou pejorativos
• Qualquer link ou e-mail
• Qualquer menção a outro estabelecimento que comercialize quadrinhos
Assunto alheio ao tema da postagem em questão